PLANTÃO 24H. Ligue: (51) 3491.6100

Sangramento que não estanca pode ser sinal de hemofilia

Sangramento que não estanca pode ser sinal de hemofilia

Se o seu cachorro se feriu e o sangramento não estanca nunca é possível que ele sofra de hemofilia. Nessa hora, busque um atendimento médico urgente evitando que o seu bichinho tenha uma hemorragia mais grave que pode ser até fatal.

A hemofilia é uma doença congênita, que nasce com o animal, e hereditária, causada pela deficiência na coagulação do sangue. Ela acomete cães, principalmente machos, e raças como dobermann e pastor alemão. Por outro lado, muitas vezes, o animal apresenta diversos graus de hemorragia, sem que tenha se ferido.

A hemofilia é transmitida pela mãe do filhote por meio do cromossomo X e pode ser diagnosticada quando o animal ainda é pequeno. Essa doença não tem cura, mas pode ser tratada quando se apresentam os sinais clínicos. Geralmente, o tratamento envolve, entre outras medidas, a transfusão sanguínea.

Além de quadros hemorrágicos, o animal hemofílico pode ter hematomas pelo corpo ou algum tipo de sangramento espontâneo e que demora muito para ser coagulado. Os bichinhos portadores da hemofilia carregam uma anomalia no sistema circulatório que pode ser leve ou grave, dependendo do caso.

Não há como diagnosticar previamente a hemofilia, a não ser que o tutor do cão conheça os pais do animal e a existência da mutação do gene. Quando o cachorro se machuca de forma superficial, não existe risco de morte. Mas quando o ferimento é profundo a doença pode ser mortal.

Existem dois tipos de hemofilia, a A e a B, que se manifestam de formas diferentes. Na A, anomalia mais leve, só é identificada quando o animal tiver uma ferida. Se não, pode passar despercebida.

O tipo B, de nível moderado a grave, já se manifesta de forma anormal, com sangramento pelo nariz e pela gengiva do cachorro. O sangue também pode aparecer na urina e nas fezes.

Porém, é importante saber que nem sempre o sangramento está ligado à hemofilia. Existem outros fatores externos que podem resultar nessa reação do organismo. Por isso é determinante que o seu bichinho seja examinado por um especialista para um diagnóstico correto e um tratamento efetivo.

Caso o quadro seja mesmo dessa deficiência na coagulação do sangue, o veterinário deverá receitar medicamentos coagulantes para o seu pet ou outro tipo de remédio em complementação ao tratamento para que haja um controle total da doença.

Animais hemofílicos precisam de tratamento o mais cedo possível e que se estabeleça de forma permanente, além de cuidados preventivos em sua rotina diária. Dessa forma, são evitados outros problemas de saúde decorrentes da doença como a anemia, por exemplo. As hemorragias internas causam desde a debilidade no animal até problemas respiratórios e cardiológicos.

Deixe uma resposta

Fechar Menu