PLANTÃO 24H. Ligue: (51) 3491.6100

Otite em cães e gatos pode evoluir para uma doença crônica

Otite em cães e gatos pode evoluir para uma doença crônica

A otite em cães e gatos é uma inflamação bem comum que atinge o ouvido do animal. Porém, se não tratada devidamente pode evoluir para um processo patológico crônico. Em torno de 5% a 20% dos cães são atacados pela doença do conduto auditivo, sendo que a otite mais grave chega a 76,7% dos casos nos cachorros e 50% em gatos.

O tratamento vai depender da avaliação médica do pavilhão auricular e meato acústico externo dos bichinhos. Mas também o dono vai ter que ser disciplinado na aplicação dos produtos tópicos para que seja exitosa, assim como evitar a reincidência da enfermidade. Dependendo do caso, pode ser necessário até o uso de anestésicos, para que o animal não sofra com a dor.

De forma geral, as bactérias e os fungos são responsáveis pela patologia, embora a otite possa ser causada também por alergias, questões hormonais, parasitas, objetos estranhos, doenças de pele e até tumores, entre outros fatores. Por isso, é muito importante a análise de um veterinário de sua confiança que vai detectar a exata procedência da doença e definir o tratamento mais apropriado.

Os principais sinais que demonstram que o seu animal de estimação está sofrendo de otite é a coceira intensa da orelha, mau cheiro no local, prurido, além de comportamentos incomuns como balançar ou inclinar muito a cabeça, esfregar a cabeça nos móveis ou na parede e uma atitude agressiva quando for tocado na região do ouvido. Em casos mais graves, atingindo o sistema neurológico, o animal anda em círculos e apresenta perda de audição.

O médico precisará realizar um diagnóstico específico sobre a condição do animal e o que está causando a inflamação do canal auditivo. Para isso, ele deve contar com uma estrutura de análises laboratoriais e de imagens para ter a certeza de que os agentes etiológicos sejam identificados para um tratamento bem direcionado.

Exames clínicos como citologia auricular, cultura, biópsia e radiografia podem ser aplicados ao pet para identificar o grau de inflamação que atingiu o organismo do seu peludo. O especialista ainda vai averiguar o funcionamento dos órgãos auditivos do seu companheiro, assim como estabelecer o índice de sensibilidade a ativos para o uso tópico.

Outro parecer médico deverá ocorrer em relação à prevenção da otite, que muitas vezes pode tornar-se repetitiva. O veterinário irá passar orientações em relação aos cuidados diários, que podem envolver os hábitos do animal, à higiene e ao contato do peludo com possíveis agentes infectantes ou que possam causar danos ao ouvido de seu bichinho.

Deixe uma resposta

Fechar Menu