PLANTÃO 24H. Ligue: (51) 3491.6100

Gripe, asma e bronquite atacam cães e gatos

Gripe, asma e bronquite atacam cães e gatos

Os pets estão sujeitos a diversas doenças, como os humanos, e as mais comuns. Eles podem se resfriar e ficarem gripados. As doenças respiratórias de cães e gatos, popularmente conhecidas como gripe, são causadas por agentes diferentes, como vírus e bactérias, e podem agravar algumas doenças pré-existentes, como a asma e a bronquite.

A transmissão ocorre mais facilmente quando há aglomeração de animais, porém o contato direto e com secreções ou com objetos contaminados pode levar à infecção. É importante ressaltar que cães e gatos não pegam gripe de seres humanos e nem transmitem a gripe para as pessoas.

Os animais geralmente apresentam sintomas semelhantes ao da gripe humana, com acometimento do trato respiratório superior, podendo ainda gerar lesões nos olhos, na boca e, em casos mais graves, afetar até os pulmões.

Tosse seca e úlceras na boca

Enquanto nos cães, os sinais clínicos mais marcantes são a tosse seca e o corrimento nasal, em gatos pode-se perceber espirros mais frequentes, além de lacrimejamento, secreção ocular e úlceras na boca. Febre, perda de apetite e desidratação são mais observados em felinos, mas podem estar presentes nos cachorros também, mais debilitados.

Animais de qualquer idade podem ser afetados. No entanto, filhotes, idosos e bichinhos imunocomprometidos tendem a apresentar um quadro mais grave e de difícil tratamento, gerando muitas vezes doenças crônicas que os acompanharão para o resto da vida.

Vírus e bactérias

Os agentes causadores da doença em gatos, também conhecida como Complexo Respiratório Felino, são o Herpesvírus tipo 1 (FHV-1), o Calicivírus felino (FCV) e a Chlamydia felis. Além desses agentes infecciosos, a doença quase sempre envolve outros bacterianos, como o Mycoplasma felis e a Bordetella bronchiseptica.

Já na espécie canina, a gripe ou tosse dos canis é causada principalmente por três agentes infecciosos: uma bactéria de nome Bordetella bronchiseptica e dois vírus, o Parainfluenza e o Adenovírus tipo 2, agindo de forma isolada ou em combinação.

Alguns manejos podem ser adotados afim de minimizar a exposição de cães e gatos às doenças respiratórias, como mantê-los aquecidos e protegidos do frio e da umidade. Também evitar o estresse nos animais é uma boa dica de prevenção da gripe. Mas a profilaxia por meio de vacinação é, sem sombra de dúvidas, a medida mais eficaz para protegê-los.

Imunização

A imunização deve ser feita seguindo o protocolo indicado, sendo que filhotes devem receber de 2 a 4 doses de vacina contra a gripe, dependendo da idade. Em ambas as espécies, a revacinação anual é imprescindível.

Assim como em humanos, alguns indivíduos vacinados podem ainda apresentar a infecção, mas certamente os sinais serão muito mais brandos, oferecendo menos risco à saúde desses animais.

Tratamento

Cães e gatos doentes, ou que apresentem algum sintoma de gripe, devem ser levados para uma consulta com um profissional habilitado que irá detectar a enfermidade e tratá-la da maneira adequada.

O tratamento das doenças respiratórias varia muito e consiste na terapia de suporte, além de ser importante o uso de antibióticos e demais medicações para aliviar os sintomas e promover o bem-estar desses pacientes.

A medicação sem orientação pode camuflar a doença e, muitas vezes, agravar o quadro do pet, especialmente quando receberem fármacos e doses inadequados para a espécie.

O Hospital Bichos do Sul conta com uma equipe qualificada e sempre disponível para sanar quaisquer dúvidas acerca da saúde de seu companheiro, além de oferecer vacinas de alta qualidade.

No Hospital, seu animalzinho de estimação ainda pode contar com uma internação em ambiente de temperatura controlada para proporcionar o bem-estar e todo o conforto em sua recuperação.

Deixe uma resposta

Fechar Menu