PLANTÃO 24H. Ligue: (51) 3491.6100

Gatos assumem o temperamento de seus tutores

Gatos assumem o temperamento de seus tutores

Um estudo publicado recentemente revela que a personalidade dos gatos está diretamente ligada ao perfil humano mais próximo. De acordo com a pesquisa, os felinos acabam assumindo características do temperamento do seu próprio dono.

Segundo o levantamento exibido na revista norte-americana Plos One, que faz a divulgação de trabalhos científicos, mostra que o gênio de cada pessoa pode afetar substancialmente a natureza do cuidado prestado aos seus dependentes.

Esta ligação, que tem sido pesquisada de forma aprofundada em pais e crianças, no entanto, relativamente oferece poucas informações sobre a dinâmica no que diz respeito às relações dos seres humanos com animais de estimação.

Os gatos, que fazem parte de muitas famílias, podem ter tipos muito diferentes de relacionamento com humanos que variam no grau de autonomia dado ao gato ou na intensidade da dependência a que ele é submetido.

Relações emocionais

O felino, por exemplo, pode tratado como um companheiro social ou simplesmente mantido para controle externo de pragas, tratado como um “bebê de pelos” ou solto e liberado para perambular pela rua.

Essas relações do dono com o gato podem resultar na participação do animal em interações mutuamente benéficas e afiliativas entre os dois, ou simplesmente tolerar a proximidade emocional devido aos recursos físicos ou ambientais associados.

As interações do dono com animais de companhia podem fornecer uma visão valiosa sobre o fenômeno mais amplo das interações familiares. Os donos geralmente adotam o papel de cuidador primário e pais potencialmente substitutos. E

O estudo, usando gatos como exemplo, explorou a relação entre a personalidade do proprietário e os estilos de vida aos quais os gatos são expostos. Além disso, explorou o caráter do proprietário, uma vez que se relacionava ao comportamento relatado e ao bem-estar do bichinho.

Personalidade e saúde

Os donos dos felinos – que foram 3.331 pessoas analisadas – responderam a um questionário on-line com perguntas que examinavam a personalidade e a saúde, o comportamento e gerenciamento de seus gatos.

A personalidade do dono foi medida usando o Big Five Inventory (BFI), fatores da personalidade descritos pelo método lexical, ou seja, baseado em uma análise linguística, para avaliar satisfabilidade, consciência, extroversão, neuroticismo e abertura.

Os proprietários também forneceram informações sobre a saúde física, tipo de raça, gestão e estilos comportamentais de seus gatos. Modelos lineares mistos generalizados foram usados ​​para identificar as relações entre a personalidade do proprietário e uma série de fatores que podem ter implicações de bem-estar para a população de animais de companhia mais ampla e, especificamente, gatos.

Descobriu-se que os traços de personalidade dos proprietários se correlacionavam mais positivamente com vários parâmetros de estilo de vida, comportamento e de bem-estar dos animais.

Traços humanos e felinos

As formas de medir o bem-estar do gato passou pelo peso do animal, doenças relacionadas ao estresse e sujeira da casa. O estilo de vida considerou a idade, raça, condição médica e tipo de acesso externo fornecido ao bichinho.

Já em relação às atividades e interações do gato, foi definido o estilo comportamental como a tendência do gato a se comportar de certa maneira dentro de determinadas situações, neste caso, no contexto das interações humanas.

Os animais avaliados, juntamente com seus donos, demonstravam a tendência de comportamento dos humanos que os criavam. As atitudes mais agressivas ou mesmo uma propensão à ansiedade nos gatos eram reflexos do que espelhavam os seus tutores.

Os traços humanos foram evidenciados na personalidade felina onde os casos exibiam estilos comportamentais medrosos ou alheios, hiperativos ou lentos, por exemplo, conforme o cuidado recebido de seus donos e a forma de interagir com eles.

Deixe uma resposta

Fechar Menu